Como Emagrecer Fazendo a Dieta do DNA

A dieta do DNA, também chamada de dieta genética, é um método de emagrecimento usado por nutricionistas com o objetivo de montar uma dieta ideal para cada pessoa.

O que ela propõe é que se entenda melhor como cada organismo funciona, suas peculiaridades e particularidades. Tudo isso é considerado na hora de montar um cardápio ideal.

É por isso mesmo que esse é considerado um excelente método de perda de peso, sendo a solução perfeita para muitas pessoas que já brigam há tempos com a balança.

Isso porque ela se baseia em determinar todo o perfil genético do paciente, entendendo como o corpo reage a cada um dos alimentos. Então, se você está interessado e procurando saber um pouco mais sobre a dieta do DNA, continue lendo e veja os detalhes.

Se você fizer a dieta do DNA juntamente com o emagrecedor Keto Boost os resultados serão muito mais rápido.

Como se descobre o perfil genético do paciente?

É bem possível que você já tenha ouvido falar de uma grande variedade de dietas malucas por aí, mas a Dieta do DNA vem realmente chamando a atenção de muitas pessoas por causa de sua eficácia.

Isso porque ela leva em conta cada peculiaridade genética de uma pessoa, visando descobrir a melhor forma de se alimentar, incluindo apenas os melhores alimentos.

Para começar isso tudo, é preciso usar a ciência genética para identificar qual a reação do corpo a cada tipo de alimento apresentado. Para que se entenda melhor: o DNA possui uma grande diversidade de variações e o exame visa entender qual a velocidade do metabolismo e quais tipos de nutrientes não são bem absorvidos, tendendo a se acumularem.

Com isso em mãos, o nutricionista consegue montar um cardápio com o foco exato para que seja possível emagrecer, buscando sempre um equilíbrio de proporções, considerando a análise individualizada de cada paciente.

O maior benefício para quem está procurando um emagrecimento certeiro e saudável nem é esse. Isso porque além de definir quais os nutrientes que o corpo precisa, os exames também ajudam a mostrar quais problemas podem vir a atrapalhar a perda de peso.

Isso sem falar que também identifica se há intolerância a algum tipo de ingrediente. Com isso, é possível conquistar resultados muito mais certeiros e garantidos.

Outra grande vantagem é que os exames ainda podem mostrar como o corpo reage à prática de atividades físicas, que também pode ser uma excelente aliada no processo de emagrecimento.

Então, fale com o seu médico e se informe sobre a possibilidade de emagrecer com dieta do DNA.

Emagrecer com a dieta do limão

Quando falamos em emagrecer, o que não faltam são dietas, receitas e dicas milagrosas para perder peso. Entre as mais famosas desta lista está a dieta do limão.

Muitas pessoas já realizaram esta dieta e obtiveram grande sucesso, relatando o emagrecimento de até 8 kg por mês, o que é considerado um ótimo resultado.

É uma dieta bem aceita pois se trata de uma fruta que além de emagrecer pode trazer vários benefícios para a saúde quando seu consumo for feito de forma adequada.

Como funciona a dieta do limão?

Existem várias opções de receitas para a dieta do limão. Desde as mais simples, como ingerir algumas gotas de limão misturadas na agua antes das refeições, como as mais radicais, onde o consumo do limão deve ser progressivo (aumenta 1 limão por dia) sendo que aos 15 dias da dieta você deverá consumir 15 limões, o que consideramos bem difícil.

Algumas ainda orientam que o limão deve ser ingerido em jejum com a água morna. O fato é que limão realmente emagrece de forma eficiente e se junto com esta dieta você tomar Redu Slim todos os dias, vai emagrecer ainda mais.

Quais os benefícios de seguir a dieta do limão?

Se você seguir uma dieta do limão equilibrada na quantidade e pelo tempo determinado, você poderá obter vários benefícios como por exemplo:

  • Equilibra a pressão arterial

Por ser uma rica fonte de potássio o limão, estimula as funções cerebrais, nervosas e equilibra a pressão arterial.

  • Reduz a fome

Devido a presença da pectina reduz a ansiedade e a fome impulsiva que resulta dela.

  • Diminui o impulso de comer doces

Por incrível que pareça o limão reduz a acidez do seu corpo e acelera o metabolismo auxiliando a digestão (principalmente de gorduras). Reduz também aquele desejo de comer doces.

  • Aumenta a imunidade

Por ser uma fruta abundante em vitamina C, aumenta a imunidade e combate gripes e resfriados.

  • Ajuda a queimar as calorias

Tomar o limão com água morna aumenta a temperatura interna do corpo e faz com que seu metabolismo acelere para equilibrar a temperatura. Este processo acelera a queima de calorias.

Cuidados ao seguir a dieta do limão

Em primeiro lugar não espere um milagre desta dieta. Toda dieta deve ser acompanhada de uma alimentação equilibrada, rica em nutrientes e pobre de carboidratos e calorias.

Antes de iniciar qualquer dieta procure orientação de um profissional para que ele possa avaliar se é a melhor opção para o seu caso.

Alguns nutricionistas advertem que o consumo máximo é de 3 unidades por dia lembrado que, todo excesso é prejudicial para sua saúde.

Tudo sobre as estrias de crescimento

A adolescência é uma fase que pode set tanto incrível quanto conturbada. Isso porque se trata de uma fase de grandes descobertas, enquadramento em grupos e também de mudanças corporais.

Não é incomum que durante esse período o corpo cresça e se desenvolva rapidamente. No entanto, isso pode dar origem a um problema bastante desagradável, que são as estrias.

É por esse motivo que hoje vamos falar um pouco mais sobre as estrias de crescimento e entender qual é a melhor fase para lidar com esse problema de maneira adequada.

O que são as estrias de crescimento

As estrias, de uma forma geral, são como cicatrizes que surgem na pele após o rompimento das fibras colágenas que formam uma de suas camadas, a derme,

Embora seja apenas um problema estético, a presença de estrias pode causar uma série de problemas emocionais quando ocorre em adolescentes em fase de desenvolvimento.

Isso porque é uma fase em que há muita necessidade de aceitação e esse problemas com o corpo podem abalar a autoconfiança.

O problema tende a ser mais frequente em meninas, surgindo nos seios, bumbum, coxas e quadril. Já nos meninos, quando elas surgem, normalmente acontecem nos ombros, braços, e bumbum.

A prevenção do problema não é algo simples, pois são muitas mudanças acontecendo ao mesmo tempo. No entanto, manter uma boa hidratação é sempre algo muito indicado, pois contribui para a hidratação da pele.

Como tratar as estrias de crescimento

Existem basicamente três tipos diferentes de estrias, que são: as roxas, as rosadas e as brancas. Cada uma delas terá um tipo específico de tratamento e quanto mais cedo o problema for tratado, melhor. Mas antes de ver os tratamentos abaixo, saiba que o creme silk skin funciona muito bem para tratar as estrias, se você ainda não conhece esse produto, recomendo que você acesse silk skin resenha e veja o que as pessoas estão falando dele.

Quando falamos de estrias roxas, há praticamente 100% de certeza de sucesso no tratamento, que normalmente é indolor. Nesse caso, é recomendada a aplicação de uma enzima diretamente na marca e também a aplicação de um procedimento de peeling na região.

Já as estrias de coloração avermelhada ou arroxeada podem ser um pouquinho mais difíceis de tratar se comparadas com as anteriores. Nesse caso, também é recomendada a aplicação da enzima, que pode ser associada com a carboxiterapia.

O processo é um pouco mais dolorido, mas pode ter uma boa resposta, atenuando bastante as marcas.

Já as estrias brancas só podem ser resolvidas com tratamento a laser, que é o único eficaz.

Por isso é que é essencial procurar um médico logo no começo do surgimento das estrias de crescimento, para poder tratá-las de uma forma eficiente e mais simples!

Cuidado: Estresse causa queda de cabelo

Atualmente, o estresse é um problema cada vez mais comum e os seus efeitos sobre o organismo humano podem ser bastante variados. Um dos principais deles é a queda de cabelo causada pelo estresse.

Vale lembrar que é essencial identificar essa relação entre ambas as condições, pois é somente assim que se pode cuidar da causa, ou seja, tratar o problema na raiz.

Por isso mesmo é que hoje vamos falar um pouco mais sobre o estresse e a relação que ele possui com a queda de cabelo.

Qual a relação entre estresse e queda de cabelo?

A queda de cabelos pode ter uma relação direta com a o estresse, mas o que acontece é que muitas vezes acaba sendo confundido com a calvície. Nesses casos, não importa qual seja os cuidados que você tem com seus fios, eles vão continuar caindo, dia após dia.

Mas afinal, qual a relação entre o estresse e a calvície que faz com que o uma pessoa estressada passe a apresentar queda dos fios de cabelo de maneira temporária?

O fato é que somente pessoas em situações extremas de estresse é que perdem todos os fios, mas mesmo assim a queda pode ser bastante acentuada.

O problema é causado porque ocorre um comprometimento do sistema circulatório periférico, o que faz com que a fixação dos fios fique comprometida.

Produtos naturais como o Capimax Hair certamente podem ajudar bastante, mas em quadros de estresse agudo ocasionam altas taxas de cortisol no organismo que, entre muitas consequências, também pode abalar a saúde dos fios.

Falando à nível fisiológico, o corpo fica em um estado de alerta tão intenso, que ele passa a eliminar o que é menos importante. Portanto, direciona os nutrientes para outras áreas mais vitais.

A consequência é a queda dos cabelos!

Mais do que isso, o estresse também favorece a produção acelerada do estriol, que é um hormônio que atua impedindo a chegada de nutrientes na área do couro cabeludo.

A consequência é que isso freia bruscamente o crescimento dos fios, fazendo com que aqueles que já caíram não voltem a crescer novamente até que a situação se regularize.

Normalmente essa condição de queda costuma ocorrer até 3 meses depois do episódio de estresse intenso. Além da queda, como já foi explicado, ainda pode causar a diminuição abrupta do crescimento de fios em determinadas regiões.

O mais importante é procurar recursos para acabar com o problema e recuperar os fios perdidos da melhor forma possível!

Como Emagrecer tendo Hipotireoidismo?

Quem já está acima do peso e recebe um diagnóstico de hipotireoidismo, certamente acha que isso é uma sentença de que nunca mais vai conseguir perder peso na vida.

Quem está no peso, acha que irá engordar e que não conseguirá mais manter-se no peso recomendado.

O fato é que esse tipo de pensamento é muito comum, afinal, ainda há muitas dúvidas e mitos a respeito dessa condição de saúde.

É justamente por isso que hoje vamos entender um pouco melhor essa condição e ver como emagrecer com hipotireoidismo.

Entendendo o hipotireoidismo

A tireoide é uma glândula que atua na regulação do metabolismo. É ela que realiza a produção dos hormônios T3 e T4, que possibilitam que o organismo funcione corretamente.

Mais do que isso, os hormônios produzidos pela tireoide também ajudam a controlar a frequência cardíaca, a manutenção da taxa muscular, a temperatura corporal, os níveis de colesterol e diversos outros mecanismos.

Com isso, já podemos entender que quando há um problema na glândula, uma série de outras funções do corpo acabam se descompensando também.

O metabolismo também sofre influência da tireoide, mesmo não sendo regulado apenas por ela. Lembrando que o metabolismo é o conjunto de processos realizados pelo nosso organismo para manter a vida.

Com isso, para que o metabolismo funcione corretamente, ele depende de nutrientes ingeridos, atividades realizadas, quantidade de ossos, gorduras e músculos e também da idade.

Afinal, como emagrecer com hipotireoidismo

Considerando que o metabolismo é todo esse conjunto de fatores, podemos entender que a perda ou ganho de peso são resultantes da quantidade de calorias ingeridas em comparação com a quantidade de energia gasta.

Sendo assim, mesmo que uma pessoa tenha hipotireoidismo, ela poderá emagrecer se gastar mais calorias do que ingere diariamente.

Mais do que isso, o ganho de peso também é um processo multifatorial, englobando também a predisposição genética, nível de atividade física (sedentarismo ou não), e controle de taxas hormonais.

Mais do que isso, também é sempre recomendado tratar a condição do hipotireoidismo, para que a glândula possa voltar a funcionar normalmente e garantir que não exercerá influencia negativa na manutenção do seu peso.

Com o diagnóstico em mãos, o médico irá acompanhar as suas taxas hormonais, recomendará o uso de medicamentos específicos e orientará atividades que ajudem a regularizar o metabolismo.

Com isso, mesmo que você tenha hipotireoidismo não terá problemas para emagrecer se mantiver uma dieta adequada e bom nível de atividade física.