Cuidado: Estresse causa queda de cabelo

Atualmente, o estresse é um problema cada vez mais comum e os seus efeitos sobre o organismo humano podem ser bastante variados. Um dos principais deles é a queda de cabelo causada pelo estresse.

Vale lembrar que é essencial identificar essa relação entre ambas as condições, pois é somente assim que se pode cuidar da causa, ou seja, tratar o problema na raiz.

Por isso mesmo é que hoje vamos falar um pouco mais sobre o estresse e a relação que ele possui com a queda de cabelo.

Qual a relação entre estresse e queda de cabelo?

A queda de cabelos pode ter uma relação direta com a o estresse, mas o que acontece é que muitas vezes acaba sendo confundido com a calvície. Nesses casos, não importa qual seja os cuidados que você tem com seus fios, eles vão continuar caindo, dia após dia.

Mas afinal, qual a relação entre o estresse e a calvície que faz com que o uma pessoa estressada passe a apresentar queda dos fios de cabelo de maneira temporária?

O fato é que somente pessoas em situações extremas de estresse é que perdem todos os fios, mas mesmo assim a queda pode ser bastante acentuada.

O problema é causado porque ocorre um comprometimento do sistema circulatório periférico, o que faz com que a fixação dos fios fique comprometida.

Produtos naturais como o Capimax Hair certamente podem ajudar bastante, mas em quadros de estresse agudo ocasionam altas taxas de cortisol no organismo que, entre muitas consequências, também pode abalar a saúde dos fios.

Falando à nível fisiológico, o corpo fica em um estado de alerta tão intenso, que ele passa a eliminar o que é menos importante. Portanto, direciona os nutrientes para outras áreas mais vitais.

A consequência é a queda dos cabelos!

Mais do que isso, o estresse também favorece a produção acelerada do estriol, que é um hormônio que atua impedindo a chegada de nutrientes na área do couro cabeludo.

A consequência é que isso freia bruscamente o crescimento dos fios, fazendo com que aqueles que já caíram não voltem a crescer novamente até que a situação se regularize.

Normalmente essa condição de queda costuma ocorrer até 3 meses depois do episódio de estresse intenso. Além da queda, como já foi explicado, ainda pode causar a diminuição abrupta do crescimento de fios em determinadas regiões.

O mais importante é procurar recursos para acabar com o problema e recuperar os fios perdidos da melhor forma possível!

Como Emagrecer tendo Hipotireoidismo?

Quem já está acima do peso e recebe um diagnóstico de hipotireoidismo, certamente acha que isso é uma sentença de que nunca mais vai conseguir perder peso na vida.

Quem está no peso, acha que irá engordar e que não conseguirá mais manter-se no peso recomendado.

O fato é que esse tipo de pensamento é muito comum, afinal, ainda há muitas dúvidas e mitos a respeito dessa condição de saúde.

É justamente por isso que hoje vamos entender um pouco melhor essa condição e ver como emagrecer com hipotireoidismo.

Entendendo o hipotireoidismo

A tireoide é uma glândula que atua na regulação do metabolismo. É ela que realiza a produção dos hormônios T3 e T4, que possibilitam que o organismo funcione corretamente.

Mais do que isso, os hormônios produzidos pela tireoide também ajudam a controlar a frequência cardíaca, a manutenção da taxa muscular, a temperatura corporal, os níveis de colesterol e diversos outros mecanismos.

Com isso, já podemos entender que quando há um problema na glândula, uma série de outras funções do corpo acabam se descompensando também.

O metabolismo também sofre influência da tireoide, mesmo não sendo regulado apenas por ela. Lembrando que o metabolismo é o conjunto de processos realizados pelo nosso organismo para manter a vida.

Com isso, para que o metabolismo funcione corretamente, ele depende de nutrientes ingeridos, atividades realizadas, quantidade de ossos, gorduras e músculos e também da idade.

Afinal, como emagrecer com hipotireoidismo

Considerando que o metabolismo é todo esse conjunto de fatores, podemos entender que a perda ou ganho de peso são resultantes da quantidade de calorias ingeridas em comparação com a quantidade de energia gasta.

Sendo assim, mesmo que uma pessoa tenha hipotireoidismo, ela poderá emagrecer se gastar mais calorias do que ingere diariamente.

Mais do que isso, o ganho de peso também é um processo multifatorial, englobando também a predisposição genética, nível de atividade física (sedentarismo ou não), e controle de taxas hormonais.

Mais do que isso, também é sempre recomendado tratar a condição do hipotireoidismo, para que a glândula possa voltar a funcionar normalmente e garantir que não exercerá influencia negativa na manutenção do seu peso.

Com o diagnóstico em mãos, o médico irá acompanhar as suas taxas hormonais, recomendará o uso de medicamentos específicos e orientará atividades que ajudem a regularizar o metabolismo.

Com isso, mesmo que você tenha hipotireoidismo não terá problemas para emagrecer se mantiver uma dieta adequada e bom nível de atividade física.